As Escolhas de Miguel Cardina (Uma colecção; um documentário)

Uma colecção
A filmografia completa de Michel Giacometti, editada pela Tradisom e recentemente disponibilizada em fascículos pelo jornal Público. Chamo a atenção para a série O Povo que Canta que a RTP passou entre 1970 e 1974 e que era bastante difícil de encontrar até agora. Giacometti devolve-nos aí as imagens de um país que estava a desaparecer, com os seus rostos, os seus costumes, as suas sonoridades. Sem a paixão paciente deste corso, boa parte da música que se reivindica de inspiração “tradicional” ou “popular” – da Brigada Victor Jara à Banda do Casaco, de José Mário Branco aos Gaiteiros de Lisboa, do projecto Megafone aos Galandum Galundaina – teria sido mais pobre. 


Um documentário
«Tarrafal», de Diana Andringa. Em 2009, na sequência de um encontro comemorativo dos 35 anos de encerramento do «campo da morte lenta», Diana Andringa entrevistou presos africanos que aí tinham estado na segunda vida do campo, a partir de 1961. Um extraordinário documento que nos mostra como o colonialismo português não teve uma especial capa bondosa, ao contrário do que ainda se diz. E também um retrato de como o género humano, mesmo nas condições mais adversas, é capaz de reinventar a vida. Imperdível. 


video



Comentários

  1. Sérgio da Costa Cardina9 de maio de 2011 às 05:02

    É deveras enriquecedora e triste a forma como estas lembranças da era Salazarista nos transporta ao mundo Português daquela época. Onde a prisão, tortura e escravidão vigentes na época do Estado-Novo que dilacerou todo um povo da Metrópole às Colónias de então. É sempre bom recordar e lembrar que essas atrocidades não podem voltar a ser usadas como foram usadas por uma policia politica que amordaçou e manietou todo um império até à exaustão. O Povo deve continuar a lutar pois o "papão" continua à espreita pois muitos continuam a lembrar com "nostalgia" os "belos" tempos da ditadura que tantas vidas ceifou e prendeu torturando nas prisões do Tarrafal, Peniche,etc por esse Portugal da altura de antes 25 de Abril de 1974.
    Viva Portugal sem ditadura.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário