Cravos de Abril - 40 Anos - Os 'Últimos Presos do Estado Novo" de Joana Pereira Bastos

Trata-se de uma obra baseada em entrevistas a algumas pessoas que estavam presas no forte de Caxias em 25 de Abril de 1974. Durante os 48 anos de ditadura, a PIDE deteve mais de 15 mil pessoas e este é o testemunho de alguns dos últimos presos políticos que sofreram na pele a brutalidade da PIDE enquanto, lá fora, a revolução era preparada. 

Confira abaixo a sinopse de Os Últimos Presos do Estado Novo
Depois de uma curta «Primavera Marcelista», o País assistiu a uma escalada da violência contra todos os portugueses que enfrentavam a ditadura. Entre 1973 e 1974, mais de 500 pessoas, pertencentes a vários movimentos políticos e oriundas de diferentes classes sociais, foram presas e violentados pela PIDE.

No forte de Caxias, muitas eram sujeitas às mais sofisticadas e brutais formas de tortura, ensinadas através de um manual entregue pela CIA à polícia política portuguesa, enquanto lá fora se preparava a revolução de 25 de Abril.

Depois de meses de sofrimento, os homens e mulheres detidos em Caxias enfrentaram momentos de angústia e incerteza quando souberam que houvera um golpe militar - seria um golpe da esquerda ou, tal como acontecera no Chile, da direita mais radical? Atrás das grades, os prisioneiros enfrentaram essa dúvida durante horas a fio. Sofrendo até ao fim, os últimos presos políticos do Estado Novo só conheceram a liberdade na madrugada de 27 de Abril de 1974 - dois dias depois da revolução que pôs termo a 48 anos de ditadura.



Comentários