Poemas de Adonis




Amor

Amam-me o caminho, a casa
e na casa uma jarra vermelha
amada pela água,
amam-me o vizinho
o campo, a debulha, o fogo,
amam-me braços que trabalham
contentes do mundo descontentes
e os arranhões acumulados no peito
exaurido do meu irmão atrás
das espigas, da estação, como rubis
mais rubros que o sangue.
Nasci e nasceu comigo o deus do amor
— que fará o amor quando eu me for?


Canções para a Morte

1.
A morte quando passa por mim é como se
o silêncio a abafasse
é como se dormisse quando eu dormisse.


2.
Ó mãos da morte, alonguem meu caminho
meu coração é presa do desconhecido,
alonguem meu caminho
quem sabe descubro a essência do impossível
e vejo o mundo ao meu redor.





Comentários

  1. Gosto muito de poesia e foi um gosto ter
    encontrado este blogue. Tenho um onde insiro
    bastante poesia que é:
    http://sinfoniaesol.wordpress.com
    Virei sempre que possa.
    Saudações
    Irene Alves

    ResponderEliminar

Enviar um comentário